Introdução alimentar (IA) BLW

Introdução alimentar (IA) BLW

No último encontro Criar e Educar na Casa Moara surgiu o tema da introdução alimentar. Eram muitas dúvidas e medos a respeito desta fase, mas no final da conversa pude sentir que a segurança e a conexão com o próprio instinto encheram a sala. Elas me inspiraram para escrever este texto, enquanto continuamos trocando ideias, receitas e claro, dúvidas, temos como norte a sabedoria de que estamos construindo o futuro relacionamento dos nossos filhos com a comida, e isso tem que acontecer com prazer.

A alimentação a partir do 6º mês é complementar, o bebê precisa continuar mamando, e do mesmo jeito que na amamentação a livre demanda é a base e quem irá guiar os cuidadores do momento certo de oferecer o alimento é o próprio bebê. Por isso não coloque o bebê para comer quando ele está com sono ou irritado, respeite seu apetite e tente não ficar o tempo todo persuadindo para que ele coma mais, nem o parabenize quando ele comer “bem”. Comer é como respirar, você fala para seu bebê “Que bom que você respirou o ai todinho!”? Acho que não né… Então o mesmo serve para a comida!

Para iniciar a introdução os melhores alimentos são as frutas, dê um pedaço para que o bebê chupe e experimente o seu sabor. Na primeiríssima vez ofereça com a sua mão e depois permita que ele pegue e experimente por conta própria, mas claro, com os cuidados de como devem ser oferecidos cada um dos alimentos.

Não basta só ter 6 meses para que se inicie a IA, é importante levar em conta os seguintes requisitos para se alimentar com sólidos (BLW):

– O bebê deve conseguir se sentar sozinho, por ele mesmo, a coluna deve ficar ereta e não deve haver esforço para se equilibrar (isso é fundamental para evitar engasgos).

– O bebê deve ter perdido o reflexo de extrusão (esse reflexo é o que o faz empurrar para fora com a língua qualquer coisa que entra em sua boca). Este vai se perdendo aos poucos, para saber você pode oferecer com a sua mão para que ele experimente e observar o que acontece. É NORMAL que no começo pegue um pedaço grande e depois o tire para fora, isso não é reflexo de extrusão.

Alergias

Comece oferecendo os alimentos aos poucos, repetindo durante três ou quatro dias o mesmo alimento para observar se existem alergias ou intolerâncias, pois se introduzir ao mesmo tempo três frutas ou legumes diferentes e descobrir uma reação alérgica não será claro qual alimento a causou. Portanto o mais coerente é introduzir um alimento a cada três dias.

Os alimentos que têm mais probabilidade de provocar alergias são aqueles que contém: laticínios, ovos, glúten, castanhas, peixes e cítricos.


Deve-se evitar:

– Alimentos sólidos que podem proporcionar engasgo, por exemplo: Cerejas inteiras, uvas inteiras, azeitonas, cogumelos inteiros, gomo inteiro de mexerica, cenoura crua, maçã crua. Também pipoca e salsicha, e por favor não comecem com esses alimentos;

– Castanhas: Durante os primeiros três anos são a forma de engasgo mais comum;

– Os sucos: Melhor evitá-los a princípio, e se oferecer que não seja mais de ½ copo por dia depois dos 2 anos. Esta indicação é porque na maioria das vezes os mesmos contêm muito açúcar, além de que oferecer a fruta inteira é muito melhor pois elas têm fibras alimentares;

– Leite e lacticínios (com excepção aos leites para bebês quando não são amamentados);

– Sal e alimentos salgados (azeitonas, queijos e outros frios). Pelo menos durante o primeiro ano;

– Mel: Durante o primeiro ano não é indicado pelo risco da contaminação da bactéria que provoca o botulismo. Além disso é melhor evitar os sabores extremamente doces pelo menos durante os 2 primeiros anos;

– Chás: Durante o primeiro ano, pois também podem conter a bactéria que provoca o botulismo (ao qual o organismo do bebê ainda não está pronto para se defender);


Por onde começar?

Não se preocupe se o seu bebê não tem dentes, ele poderá mastigar com a gengiva os alimentos moles. O melhor são alimentos cozidos que caibam na sua mão, ao qual ele possa pegar com facilidade, como: cenoura cozida, brócolis, batata, banana, fruta cortada em palito, bolinhas de arroz, hambúrguer de feijão e carne cortada no sentido da fibra.

Sempre com a supervisão de um adulto e sem parabenizá-lo, premiá-lo ou castigá-lo no processo. Comer tem que ser uma experiencia gostosa e agradável, lembre-se que se aprende no próprio convívio com os outros, o ideal é que toda família tenha uma alimentação saudável e com alimentos de verdade.

Ideias:

– Manga em palitos (que possa pegar com a mão);
– Banana: Deixe que a descasque com a boca, melhor deixar a casca para não escorregar;
– Laranja: Cortada em 8 partes com a casca ou sem ela;
– Pera: Cortada em 4 partes sem o caroço;

O mais importante é deixá-lo experimentar e curtir o processo que pode ser sujo e caótico (aos olhos dos adultos).

Como prosseguir?

Seguindo o bebê sempre. No começo é bom ir devagar porque o sistema digestivo está estreando com os sólidos. Pode começar com uma fruta de manhã, depois incluir uma no período da tarde, e dias depois o almoço. Antes do almoço completo você pode ir incluído legumes, seguindo a mesma premissa de oferecer o mesmo a cada três dias. Mas lembre-se que cada um tem um ritmo, esteja conetado com o seu bebê e siga o dele.

Sugestões de como oferecer os legumes e alimentos salgados:

– Brócolis em arvorezinhas;
– Abobrinha, abóbora e batatas em palitos;
– Abacate em rodelas;
– Tomate e beringela podem deixar vermelhões perto da boca pelo alto teor de histamina, é normal, mas é bom introduzi-los sozinhos ou com um alimento já experimentado anteriormente para não ter confusões;
– Pão sem sal (observar se aparece alergia);
– Frango cozido em tiras, a coxa inteira ou em bolinhas (Podemos esperar um pouco mais para a sua introdução até que o bebê tenha mais habilidade na gestão dos sólidos);
– Ovo é indicado oferecer primeiro a gema e depois a clara, por conta das possíveis alergias. Depois da sua introdução pode-se oferecer junto com o frango para fazer as bolinhas, ou como omelete em tiras;
– Macarrão: Opções integrais (que sejam grandes para que o bebê possa pegar). Se desejar pode adicionar azeite de oliva extravirgem ou tomate natural triturado (sem pele).

Com a colher:
– Feijão, lentilha, grão de bico… Podem ser cozidos e amassados, mas nunca batidos;
– Arroz (cozinhar mais do que normal para que fique molinho);
– Aveia (pode cozinhar com frutas ou sozinha).

Agora um bônus, receitas fáceis e gostosas que fazemos aqui de casa:

Mingau de aveia com maçã
Tire a casca e corte a maçã em pequeno pedaços, cozinhe ela com um pouco de água até ficar mole. Adicione aveia e mais água se for necessário. Mexa durante 4 minutos. Pode-se fazer só o mingau de aveia e adicionar banana ou algum legume, como abóbora cozida.

Bolinhas de frango
Moa o frango, adicione cebola refogada e cozinhe em uma panela. Acrescente abóbora ou batata bem cozidas e amasse com o garfo, por último coloque farinha de aveia para fazer bolinhas. Se já introduziu o ovo pode substituir a abóbora/batata por 1 ovo.

Panquecas de vegetais
Ingredientes:
– 1 xícara de grão de bico/lentilha/feijão cozido
– 1/2 xícara de beterraba e cenouras cozidas
– 1/2 taza de xícara de aveia

Modo de preparo: Misture tudo no liquidificador. Se deseja uma consistência mais firme para fazer bolinha ao invés de panqueca pode optar por ralar os vegetais.

Barrinhas de aveia e banana
Ingredientes:
– 2 bananas amassadas
– 4 colheres de farelo de aveia fina
– Canela à gosto

Modo de preparo: Misture todos os ingredientes e coloque para assar em uma forma. Quando estiver pronta ela fica dourada por fora e macia por dentro. Corte em tiras para oferecer.

Panquecas de batata doce
Ingredientes:
– 2 ovos
– ½ xícara de batata doce cozida e amassada

Modo de preparo: Misture os dois ingredientes e faça em uma frigideira anti-aderente.

Hambúrguer de peixe
Ingredientes:
– 250g de peixe
– 1 ovo (se ainda não introduziu o ovo pode substituir por batata ou abóbora)
– Farinha de rosca
– Cebola

Modo de preparo: Processe tudo e dê forma ao hambúrguer. Coloque para assar na frigideira um pouco de cada lado.

Tapioca de mandioca ralada
Ingredientes:
– Mandioca ralada na quantidade que você desejar (em média uma xícara para uma tapioca pequena
– Sal e temperos à gosto

Modo de preparo: Rale a mandioca (ou outra raíz de sua preferência) – quanto mais fina mais crocante e quanto mais grossinha mais macia -, tempere com sal, orégano e outras ervas de sua preferência, coloque em uma frigideira antiaderente e aperte com a colher para que se juntem, depois vire o outro lado e está pronta!
Obs: Se a frigideira não for antiaderente pode colocar um fio de óleo da sua preferência.

Beijinho de batata-doce (ótimo para aniversários baby friendly!)
Ingredientes:
– Batata doce
– Leite de coco
– Coco ralado
– Aveia

Modo de preparo: Coloque a batata doce para assar em rodelas grossas no embrulhadas com papel alumínio (se preferir você pode cozinhar a batata doce ao invés de assá-la, a diferença é que assada ela mantém mais o sabor doce). Depois tire as cascas e amasse-as ainda quente. Adicione um punhado de aveia e misture (pode fazer com as mãos, é uma delícia!). Vá acrescentando aos poucos o leite de côco e misturando até que forme uma consistência boa para enrolar. Enrole e passe no coco ralado.

Gostou das dicas? Compartilhe com outras famílias!

Um abraço,

Maria Rozas.

Sem Comentários

Deixe um comentário