O que podemos fazer para estimular adequadamente o nosso bebê?

Bebê brincando com objetos

O que podemos fazer para estimular adequadamente o nosso bebê?

Toda mãe que esteja lendo este artigo muito provavelmente pesquisou sobre como ajudar seu bebê a se desenvolver melhor.
Será que devo comprar um tapete de atividades?
Será que é melhor o brinquedo de madeira?
Muitas perguntas nos acompanham nos primeiros meses de vida do nosso filho, por isso não é minha intenção gerar mais trabalho para as mães nem acrescentar a culpa que trazemos de série. Muito pelo contrário, a minha mensagem é: relaxe, escute a bússola interna e observe seu bebê, observar no sentido profundo da palavra, em silêncio, com calma, sem esperar nada.
Estimulando o bebê
Pouco estímulo x Superestimulação: o equilíbrio é muito mais simples do que se imagina.
A estimulação de um bebê está garantida sempre que conseguimos observar ele e seguir algumas pautas simples que vamos falar nesse artigo. Hoje em dia, com toda a indústria do brinquedo e casas cheias de telas e luz, é um desafio evitar a superestimulação.
Pode um bebê ser pouco estimulado hoje em dia?
Pode. Um bebê que fica o dia todo deitado no berço, ainda que tenha um móbile maravilhoso acima; um bebê sem contato com uma figura de apego; um bebê na cadeirinha de balanço.
E pode ser superestimulado?
Sim, um bebê assistindo TV, assistindo o celular, um bebê que não escuta o silêncio, que recebe luzes dos seus brinquedos sem poder parar.
Estimulando o bebê
Quais estímulos podemos oferecer para os bebês?
Desde o nascimento:
Oferecer um lugar seguro. O corpo da mãe é o primeiro lugar a explorar – o olhar profundo, a voz suave, o ninar, assoviar, o som feito com a boca, cantar, dançar, que ele nos escute. Interagir com outras pessoas, relatar o que acontece fora de nós, e dentro de nós; relatar o que fazemos com o seu corpo; sair, passear, preferivelmente em lugares com natureza, com água, terra, árvore. Fazer coisas que gostamos, como ir ao cinema, yoga (existem muitas atividades que os bebês são sempre bem-vindos), porque o mais importante é: se a mãe está bem, o bebê está bem.
E depois:
Oferecer um espaço seguro para explorar, um piso duro (é sempre melhor do que um mole). Desde o começo, respeitar as posturas que ele conquista sozinho é essencial. Deixe-o de barriga para cima e coloque objetos por perto para favorecer seus movimentos próprios e naturais, por exemplo:

  • Um pano com bolinhas, que faça contraste (branco/preto, branco/vermelho);
  • Bolas, objetos que rodam (garrafas com grãos dentro).

Aos poucos podemos ir adicionando ao ambiente mais recursos, sempre mantendo um ambiente ordenado e harmonioso:

  • Espelho: com muita segurança, permitindo que ele consiga se observar mesmo deitado ao chão;
  • Fitas e caixas de papelão;
  • Tapetes com texturas: plástico-bolha, tapete de banheiro, feltro e muitos outros;
  • Livros com folhas grossas e de tecido;
  • Cesta de bolas com diferentes texturas para poder apertar, jogar, atirar, manusear;
  • Cesta de tesouros: diferentes objetos seguros que temos em casa colocados em uma cesta para o bebê explorar;
  • Sim, isso mesmo! Nem pense em comprar um brinquedo de encaixe, os bebês amam brincar com as panelas e os tupperware;
  • Colher de pau (para juntar com os tupperware e fazer sucesso).

Brinquedos simples para os bebês
Saiba o momento de se conectar com o silêncio.
Oferecer música, histórias e também silêncio. Os bebês precisam descansar muito, tudo ao seu redor é estimulante. É bom saber parar e se permitir conectar com o silêncio. É importante observar seus movimentos, suas conquistas e reconhecer o cansaço para poder ajudá-lo a descansar.

Que tal participar de um evento gratuito para falarmos mais sobre isso?

No dia 08 de novembro a Flamingo Sour estará no Cadê Bebê para uma tarde muito especial:

Aula da Dança Materna + Roda de Conversa

Convite: Aula da Dança Materna + Roda de Conversa
Oportunidade para quem quer viver a experiência única de uma aula da Dança Materna com a professora Adriana Drummond e também bater um papo com a pedagoga e terapeuta María Rozas, da Flamingo Sour, sobre brinquedos e atividades para os primeiros meses de vida dos bebês, levantando esse questionamento super relevante:
“Será que precisamos estimular nosso bebê? ”
✔ Para quem? Mães com bebês não andantes (até 1 ano de idade);
✔ Para participar basta se inscrever e trazer um dos itens listados (fraldas, produtos para higiene de bebês, roupas RN ou roupas para gestantes), sua participação vai render doações para o Amparo Maternal da Vila Clementino;
✔ Ligue e reserve sua vaga: Adriana (11) 98326-6674 | María (11) 99889-7006 | Cadê Bebê (11) 2361-5633;
❤ Não tem Sling? Nós te emprestamos!
[author] [author_image timthumb=’on’]https://www.mariarozas.com.br/wp-content/uploads/10445444_10152897037726525_5165459260761147677_n.jpg[/author_image] [author_info]Maria Rozas é mãe, pedagoga e terapeuta. Criou a Flamingo Sour para auxiliar famílias nas alterações e mudanças geradas com a vinda do novo ser! Sua visão se baseia nas pedagogias Montessori e Pikler, mas sobre tudo com um profundo respeito à maternidade, sabendo que cada mãe é o melhor para seu filho.[/author_info] [/author]

Sem Comentários

Deixe um comentário